Feirinha da Economia Solidária em Santana do Ipanema


O Projeto Nacional de Comercialização Solidária realiza feirinha na Praça Adelson Isaac de Miranda, no centro da cidade, desde ontem. Participam artesãos, artistas, agricultores e apicultores do interior do estado.

Ao todo são dezoito barracas distribuídas ao lado da praça. Além de Santana do Ipanema, que sedia a feira, as cidades de: Atalaia, Pão de Açúcar, São José da Tapera, Palmeira dos Índios, Carneiros, Maravilha, Marechal Deodoro, marcam presença com a oferta de produtos feitos, na maioria, por grupos que se organizam na fabricação de peças artesanais.


Girlene Leonardo Lopes, 29 anos, representa nesse evento, o seu grupo composto de oito artesãs, residentes em Atalaia. A sua barraca chama a atenção pela beleza das peças feitas com a fibra da bananeira. Os trabalhos se sobressaem pela delicadeza, textura e acabamento. São porta-jóias, garrafas, caixinhas e pequenos bibelôs. Para fazer esse tipo de artesanato, o trabalho para as mulheres começa no tratamento que dão às folhas da planta. Lavam, secam, engomam, para daí, produzirem cada peça. O efeito final enche os olhos de quem gosta de artesanato.


O preço é bastante acessível. Levando em conta o caminho percorrido para chegar até o consumidor. Mesmo com as parcerias que têm com o empresário Celso Tenório, fornecedor da matéria prima, além de outras, com o Banco do Brasil e o SEBRAE, o grupo reclama que nem sempre pode contar com outros parceiros, como a prefeitura da cidade, por exemplo.


A realização da feira conta com a participação do IMS (Instituto Moreira Salles), Marista, SENAI, Secretaria Nacional de Economia Solidária, Ministério de Trabalho e Emprego e tem a parceria do Fórum Brasileiro de Economia Solidária. O evento termina às 22h de hoje.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sagrados, como o fogo de Prometeu

Amanhã já é ontem

O que não se pode pesar