Mais respeito aos artistas violeiros!!!

Voltando à última sexta-feira, quando da ocorrência do Seminário Alagoas: Realidade e Perspectiva, realizado pela UVEAL (União dos Vereadores de Alagoas) e AMA (Associação dos Municípios Alagoanos) em Santana do Ipanema/AL, faço questão de registrar o meu protesto pelo desrespeito aos artistas, violeiros, Josival Viana e Gilberto Alves, símbolos da nossa cultura sertaneja/nordestina, que em vão tentaram se apresentar e não conseguiram. A organização do evento a meu ver foi falha, ao marcar para o final do seminário, as suas apresentações.



Repentistas, de categoria, eles ainda deram início à sua mensagem, mas as pessoas já saíam do local. Essas falhas mostram duas coisas no mínimo: ou a não importância à nossa cultura regional. Era a ocasião onde se deveria priorizar os artistas, aproveitando o contexto para reforçar nossa identidade de sertanejos. Ocasião para se prestigiar o Repente - essa tradição folcórica do nosso país, tão bem adequada e tão forte entre nós nordestinos. E que transmite tanta coisa, através da canção de versos simples, linguagem coloquial e campesina.


(Permitam-me um parêntese)

Bem informados, os repentistas têm o dom de apreenderem as diversas situações que afligem o sertanejo, e de emitirem através do ritmo do repente, mensagens que traduzem os sentimentos genuínos da gente simples e sofrida, de forma fantástica. Além do que eles são, também, a voz dessa gente. Cantam, apontando as mazelas, apontando soluções, sobre aquilo que não é justo. 

A segunda resposta ao modo como esses artistas foram tratados, pode ter sido derivado da insensibilidade dos organizadores, que diz respeito ao entendimento e à compreensão, de como as pessoas se comportam no final desses encontros, após horas de atraso à hora marcada para o seu início. Elas, naturalmente, vão embora...



Confesso que senti a famosa 'vergonha alheia', pela falta de atenção àquelas pessoas que esperaram durante todo tempo e não conseguiram se apresentar decentemente, por não terem recebido o respeito da platéia. Sem deixar por menos, os violeiros finalizaram seus versos, do que pretendia ser um Repente, protestando pela falta de atenção e ausência de expectadores.


Negligenciar a importância da cultura regional é colaborar para que os nossos símbolos, eles, que nos remetem ao orgulho de sermos o que somos, sejam ultrajados e percam a sua força e a sua alma, que na verdade é a nossa própria alma sertaneja!

Inconcebível e vexatório!!!






Comentários

  1. Seria maravilhoso se tivesemos um meio de comunicação que valorizasse estes artistas tão inteligentes! Um meio de comunicação que difundisse esses artistas pelos bairros da capital, em praças, palanques, Associações de Bairros, festas regionais e etc...Que o povo aprenda sobre a nobre cultura - e não sermos enganados pelos Le lekilekes da vida que nos empurram de goela a baixo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso, meu amigo!!!! Políticas públicas para valorização da nossa cultura!!! Sem identidade a gente se perde e não se reconhece...

      Excluir
  2. Pertinentes suas observações, Gorete. Apenas creio que a saia-justa que causou a "vergonha alheia" é fruto do amaforismo e da insensibilidade alheia. Parabéns pelo texto- protesto. VOLNEY AMARAL

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Jucélio Souza, esse talentoso artista de Pão de Açúcar

Amanhã já é ontem

O que não se pode pesar