Que ironia! Feliz de quem é primeira-dama em Alagoas

Limoeiro de Anadia falha na merenda escolar das crianças, mas Heloísa Ferro sai da prisão para amamentar

Sem espanto leio os jornais essa manhã de 2 de abril onde a notícia já esperada está estampada: Um habeas corpus liberta a primeira-dama de Limoeiro de Anadia. O argumento utilizado é no mínimo irônico, porque leva à população, uma situação que tem o efeito de: faca de dois gumes. Senão aquela velha questão onde se diz que, o feitiço virou contra o feiticeiro. Amamentar significa alimentar, nutrir. Não é falta de escrúpulo ou de sensibilidade, a gente assistir, com certo prazer, o tiro saindo pela culatra. A necessidade de ser nutrido, que o filho da primeira-dama tem, não é diferente da necessidade de alimentação das crianças em idade escolar. Ou é?.

O que faz com que a necessidade de alimentação de uma criança se sobreponha à falta de respeito e o direito à mesma necessidade básica, às outras centenas de crianças da cidade de Limoeiro de Anadia?. Será que uma mulher do povo, poderia usar tal argumento e ser beneficiada? Há uma criança inocente das denúncias de irregularidades que pesam sobre seus pais, precisando ser amamentada. Isso é lógico. Do outro lado existem crianças, também inocentes e penalizadas por esses atos denunciados, as quais foram negadas uma merenda de qualidade. Há uma mulher se prevalecendo da condição de nutridora, para sair da prisão. Existem centenas de mães as quais não se perguntou se têm comida em casa para dar aos seus filhos e que se roubarem, serão presas.

Conheço um caso, onde uma criança, ainda sem estar na escola, ia à escola onde o irmão estudava, e na hora do recreio e se colocava abaixo da janela, para que o outro passasse a metade da merenda para ele. Essa situação funciona como o efeito bumerangue: é para alimentar uma criança que a argumentação se ‘justifica’. Só que o que vem sendo negada às crianças menos favorecidas, não é considerado. Nem todos somos alvos de privilégios diante da Justiça. Mas esse pode ser o momento em que a consciência da primeira-dama, seja convidada a se expandir.

Pode ser o instante onde se pense, sendo mais direta; onde Heloísa Ferro, a esposa do prefeito de Limoeiro de Anadia possa pensar, que as outras mães precisam do alimento que a merenda escolar propicia para seus filhos, assim como o seu filho precisa ser amamentado. E que ser nutrido e com qualidade, é uma condição básica, que não se pode negligenciar, nem negar, nem subtrair a nenhuma criança sob os cuidados dos gestores públicos.

Enfim eu tenho uma pergunta a fazer a Justiça: Essa criança não poderia ser trazida até a capital e permanecer aqui até a sua mãe ser posta em liberdade? Não haveria ninguém para trazer essa criança à prisão para a que a mãe pudesse amamentá-la?

Feliz de quem é primeira-dama em Alagoas.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sagrados, como o fogo de Prometeu

Amanhã já é ontem

O que não se pode pesar