Bem no meio da vida...

Cheguei ao meio da vida... De repente afloram partes minhas até então reprimidas, meu ego se abala ante verdades e valores que já quase não se sustentam... Passar da persona para o despertar da alma. Situação limiar... Mas é preciso enterrar os mortos (juventude? Frustrações? Sonhos desfeitos ou inalcançáveis?) No meio da vida, na crise da meia-idade, como queiram, é preciso aceitar as separações que oprimem o ego, reverenciar o luto e partir para a reintegração... Minha alma me espera e, de braços dados, vou mergulhar com ela nessa outra metade...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jucélio Souza, esse talentoso artista de Pão de Açúcar

Amanhã já é ontem

O que não se pode pesar